Cadernos de Seguro

Opinião

A Quarta Idade

Quando jovem e era apresentado a uma pessoa com 30 anos ou um pouco mais, eu a considerava como uma pessoa velha. Por previsão, nossa idade média não avançava muito além dos 50 anos. Daí surgiu o termo terceira idade, atribuída àquela pessoa que ultrapassava essa faixa etária. Ao longo dos anos e com o novo século tudo começou a mudar. Tivemos conquistas significativas em todas as áreas de nossa vida.

As pessoas passaram a viver mais e melhor, e a longevidade extrapolou todas as expectativas. Assim, uma preocupação, acredito, veio de imediato bater à porta do ramo de seguros, principalmente naqueles relacionados às pessoas, seguro de vida e acidentes pessoais, entre eles. Vou falar mais adiante sobre isso, mas creio que o mercado segurador não se preparou para tal, ou seja, temos que rever as nossas tábuas de mortalidade e sobrevivência. As seguradoras e as próprias resseguradoras também devem se preocupar com a criação de produtos cujas coberturas contemplem esses povos e pessoas que ultrapassam a idade média, atualmente em torno de 80 anos. Hoje a carteira de seguros de vida cresce mais do que a de automóvel, que era sempre a primeira do ranking do mercado.

É primordial ressaltar que precisamos motivar o crescimento do seguro de pessoas e adequá-lo ao perfil brasileiro do século 21.

Baixe aqui a matéria completa

15/07/2019 03h41

Por Lucio Marques

Relações Institucionais da Sabemi Seguradora. Acadêmico da ANSP-Academia Nacional de Seguros e Previdência. Vice-Presidente do Sindicato das seguradoras do RJ/ES.

Cadernos de Seguro - Uma Publicação da ENS © 2004 - 2019. Todos os direitos reservados.